Many ou much? Few ou little? Saiba o que você pode contar.

531969_55075139Algumas coisas você pode contar, mas outras não. E é por isso que você precisa cuidar quando usar “many” ou “much“, por exemplo. Resumindo, algumas palavras quantificadoras só podem ser utilizadas com coisas as quais você pode relacionar com uma quantidade.

Você quer usar quantificadores indefinidos – palavras que vão em frente de substantivos para expressar uma quantidade não-exata – mas você não tem certeza de como utilizá-los?
É mais fácil do que você pensa.

Leia mais

Não são “f”, “s”, “d”, nem “t”; são os sons do “th”.

th_mouth_position_YYBPara quem não é um falante nativo de inglês estes sons podem ser muito difíceis de serem aprendidos. Em inglês, existem 2 sons padrões que são repesentados pelas letras “th”. E não tem jeito: você não pode substituí-los por sons que você considera “similares”. Eles são sons únicos e uma vez que você os aprende, você notará – e os outros também – uma grande diferença na qualidade de sua pronúncia inglesa.

Ao viajar, por exemplo, as pessoas podem não lhe entender se você pronunciar “three” e “tree” da mesma maneira; e mesmo que elas entendam pelo contexto, você ainda sim está afetando a qualidade de sua comunicação.

E aí, vamos aprender de vez esses sons?

Leia mais

Usando “have to”, “have got to”, “gotta” e “must”.

UnclesamwantyouMuitos pensam que “have got to” (ou a famosa versão das músicas, “gotta“), “must” e “have to” são a mesma coisa e podem ser usadas em qualquer situação. E essa ideia está errada; existem diferenças.

Neste post, além de explicar tais diferenças, recomendo um vídeo que vai ajudar você a entender de uma vez por todas quando utilizar cada um.

Leia mais

Controle sua língua: aprenda o AFI (o IPA).

einstein_tongueUma coisa que frustra todos os que aprendem uma nova língua é a pronúncia.

Ficamos com vergonha, achamos que não conseguimos fazer, que é muito difícil, que somos burros, blá blá blá. O provável motivo disso é a pressão social que sofremos. Sempre temos aquele amigo, que já sabe falar a língua que estamos aprendendo, e quem nos caçoa por não sabermos reproduzir os sons daquela língua corretamente. E as piadinhas estão em todos os lugares, não só nos nossos círculos sociais, mas também, é claro, na internet. Aqui estão alguns…

Leia mais

Assume versus presume: não suponha!

664535_23124841Você já deve ter notado que eu adoro ver palavras brigarem. :P
São tantas as palavras que parecem ter mais ou menos o mesmo sentido, e até têm em alguns contextos, que ignoramos a diferença delas. Nós supomos os significados delas.

Minha amiga e já professora, Vicky, me contou o que o pai dela diz: “don’t assume, or you might be making an ass out of you and me” (“não suponha, ou você pode nos fazer parecer burros”). Trocadilho legal, né?!

E aí, você realmente sabe a diferença entre assumepresume?
Eu não sabia. E acabei de encontrar um vídeo que…

Leia mais

Marcas que viraram palavras no inglês. 1ª parte.

Marcas são símbolos e palavras usadas para identificar uma empresa, produto ou serviço. Além disso, são mantidas por instituições especializadas em não somente marcas mas também em propriedade intelectual como um todo. Geralmente, cada país tem uma dessas instituições, às vezes relacionadas ao governo, e que pode seguir – e normalmente segue – as diretrizes previstas pela WIPO (World Intellectual Property Organization, Organização Mundial de Propriedade Intelectual). Sabendo disso, fica claro que marcas não são brincadeira de criança; para registrar uma, você precisa passar por diversos obstáculos legais, burocráticos e custosos. Esse é um dos motivos pelos quais as empresas ficam enfurecidas quando percebem que suas ideias foram roubadas ou copiadas. E a lei está ao lado delas.

Chega de blá-blá-blá burocrático; vamos falar de línguas!

Leia mais